28.12.10

Outflow

I just wanted you to believe in fact that was a phase, which ended.
I don´t think of someone other than you, I don´t know what else to explain how I feel.
Shares in return foolish toughts and memories that never went out, but I just wish you would believe that was a phase is over.
You are what I need, and what I want.

Forgive me if I bother you, or if you do remember, believe me, it´s even worse when I look into your eyes and see disappointment, but I know things work like that.

If I could change certain things, I would do.

27.12.10

O que?

O que você teme?
Sonhos com monstros de filmes que assombram seus pensamentos te dando medos de seres que nem ao certo sabemos se existe?
Perder um ente querido?
Perder a própria vida?
Ver o mundo se desmoronando à sua frente e nada poder fazer?

Vai ver que tudo não passa mesmo de paranóia... Será?

O que você teme?
Uma tarde chuvosa em meio à solidão?
Dormir sozinho no escuro?
Encontrar alguém que se evita?

Vai ver meu psicólogo é tão lunático quanto eu... Será?



Será?


O que você teme?





22.12.10

Mosteiro


Adentrei o Mosteiro de São Bento com vovó em um sábado desses animados, próximo ás festas de final de ano.
O clima estava ótimo, já havíamos dado muitas risadas, conversado sobre milhares de coisas, enfim, uma delícia.
Ao passarmos pela entrada, me transportei quase que automaticamente à idade média, época de alta fervência no catolicismo...
Vovó imediatamente veio perto de meus ouvidos, descrevendo-me as imagens que nos cercavam enormes e quase que reais, lentamente levantamos a saia de nossos vestidos e começamos a caminhar por dentro do mosteiro.
A arquitetura sem dúvidas é o que primeiro chama a atenção, logo após, os pequenos detalhes da época, como os camarotes, onde se acomodavam a burguesia, os confessionários, onde a idéia de pecado era facilmente visualizada, e o altar, magnífico em sua plenitude. Tudo foi muito mágico lá dentro, principalmente os menores sentidos, me senti em tempos medievais e adorei a sensação.
Estávamos extasiadas com toda a cena que montamos, e nos despedimos do mosteiro cheias de ar novo a respirar, e ao passar pela entrada para o caminho de volta.
BUUM!
Dou de cara com a Santa Ifigênia, cheia, com pessoas mal educadas, garoa fina...e o mau-humor retornou sem chances ao novo ar.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Vários dias sem postar, milhões de textos na cabeça, apaixonada novamente, querendo tudo e nada ao mesmo tempo e com uma preguiça que só por Deus mesmo.
Enfim, voltei devagar em meu mundinho paralelo.
Ah, ia me esquecendo, posteriormente publicarei um texto inspirado em 'Hell' (sim, eu assisti!), pelo simples fato de ter amado a peça e saído com mil e um pensamentos.
Por enquanto ficarei por aqui.

Noites


Minhas noites nunca mais foram as mesmas, depois que passamos a conversar mais e mais, depois que passamos a filosofar e construir um futuro, depois que passamos a nos entregar, tudo está muito mais ligado e natural, tudo está mais englobado em uma só realidade, a que criamos e nos inserimos.
Eu nem sei mais dizer o que aconteceu antes de você, tenho memórias sobre alguns episódios, mas depois de você, tudo mudou de cor e se tornou absurdamente mais encantador.
A falta que eu sentia de um alguém não revive mais minhas lembranças, pois você está apenas a cinco minutos de distância, o que faz de mim, um ser ainda mais realizado, vou agora dormir, e trazê-lo de volta ao meu sonho, que por vezes se confunde à minha realidade.
Me apaixonei de novo.

1.12.10

22:46

Estou sem respirar,
O pouco que me resta se faz difícil,
Não sei o que faço,
Sinto apenas a queda me alcançando devagar,
Como quem gosta de assistir o desespero,
O nervoso...

Eu queria é ter um algo dentro de mim que me motivasse a enxergar o lado bom das coisas,
Que me fizesse mais otimista comigo mesma,
Que ao menos me inspirasse de vez em quando,
Eu queria mesmo,
É afastar todos esses pensamentos que insistem em me perseguir.

25.11.10

Movies


Lá vão mais dois filmes...
O primeiro é Prozac Nation, com a Christina Ricci que não me decepcionou em nenhum momento.
A história é um fato verídico, de uma menina que desde pequena sofre de problemas psicológicos ocorrentes da separação nada tranquila de seus pais. Ela cresce com seu mundo e pensamentos paralelos, sem querer conversar com pessoas, viver excluída.
Ao atingir a fase adulta, ganha uma bolsa de estudos em Harvad, de jornalismo, e para lá segue.
Os problemas que outrora ela achou que iriam abandoná-la, passam a ser frequentes e seus surtos psicológicos passam a piorar. É estranho observar certos pontos psicológicos tão de pertinho, mas que faz bem, faz.
Não contarei o desfecho pois estarei estragando, mas adianto que não termina de forma trágica, ponto.
Particularmente, recomendo!!


O próximo e fofíssimo filme é Tomates Verdes e Fritos, que eu me surpreendi e muito!
Confesso que achei o nome do filme meio estranho a princípio e fui checar a tradução, e é isso mesmo "Green and French Tomatoes".
A obra conta a história de uma menina avançada, bem avançada para sua época, que lida com o problema de ser social com as pessoas, o único que ela plenamente confia é seu irmão, que falece quando ela ainda era criança.
Após o falecimento dele, Idge ( a personagem principal), passa a se fechar em seu próprio mundo e agir da forma que melhor lhe convém, até que Ruth (a mulher que o irmão dela amava), retorna a pedido da mãe, e tenta mostrar a ela o mundo em que vivem, a realidade, tem a missão de transformá-la em uma dama.
A trama segue contando as aventuras de Idge e Ruth, paralelamente à vida de Evelyn, que vive um casamento infeliz, onde só ela corre atrás de agrados ao marido, e a felicidade do casal, sozinha.
Entre pequenos fragmentos de uma história antiga, com a atualidade de Evelyn, aos poucos tudo de encaixa e se mostra aparentemente enlaçado.
Uma história de conquistas e reflexão.
Singelo ao extremo, amei!
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Primeira semana de provas quase terminada, trabalho desestressando aos poucos, e cabeça mais confusa do que o normal, acho que são indício de TPM (dei para ter essas merdas, agora!), que é um saco.
Mudanças de humor terríveis, e eu estava muito bem, há um bom tempo. Não tem jeito, quando acho que está tudo em ordem, vem meu humor e muda, excelente isso (Urgh!).

24.11.10

Breathe

Abrir os olhos e não conseguir ver as cores,
Tudo branco, de um branco que dói,
Os fecho.


Respiro.


Abro novamente e vejo que uma cor ou outra voltou, mas não todas,
E uma sensação estranha me toma,
Olho os dedos de minhas mãos,
Meu esmalte está todo lascado,
Minhas unhas, sem vida.


Respiro.


Me levanto, sentindo uma dor familiar nas pernas,
Tento esticá-las o mais forte que posso,
Mas quase caio,
Então começo a caminhar devagar.


Respiro.


Minha cabeça não para de latejar, pensamento atrás de pensamento,
Parece que tudo está explodindo,
E eu, em câmera lenta,
Sem conseguiu parar.


Respiro.


O telefone toca,
Atendo desconfiada, com a cabeça ainda a doer,
Ouço a voz do outro lado,
Sinto pequenos arrepios em um de meus braços.


Respiro.


Ele tenta me tirar disso,
Tenta me salvar,
Me mostra tudo o que há de melhor e mais tranquilo,
Começo a sorrir,
Começo a gostar de novo,
Minha cabeça volta a ficar boa,
A paranóia vai embora,
Tudo ruim está sumindo,
Ele continua a me fazer bem,
Estou quase em meu ápice.


Acordo.

Era um sonho.

22.11.10

Cine; Harry Potter and the Deathly Hallows


Ai, assisti Potter e as Relíquias da Morte!!
A primeira parte confesso que ficou lenta, nada de muito absurdo, ainda não consegui de fato sentir falta dos personagens.
Gostei do final, terminou em uma parte que você surta de tanta curiosidade. Mas o filme pecou na cena de Belatrix com Hermione, muitos detalhes faltaram, e para quem não leu o livro, fica um pouco vago (como sempre), gostei da cena do Lovegood, apesar de ter tido uma ideia bem mais bizarra quando li, mas ainda sim, foi boa.
Rony Weasley está uma graça (tanto ator, quanto personagem), e a atuação dele neste filme está tão bonitinha...
Ah....mesmo com detalhes faltando e a curiosidade aguçada, gostei do filme (não dou dez), mas ainda sim, gostei. Aguardando o próximo com ansiedade e muita expectativa de que ao menos o final venha caprichado!
-------------------------------------------------------------------------------------------------
O domingo passou rápido demais para o meu gosto. Mas foi especial e em alguns momentos, estático, pois parecia que algumas cenas não se findariam (o que em alguns aspectos seria ótimo!), mais passou rápido mesmo assim.
Hoje oficialmente começam as minhas provas, últimas semanas de trabalho, sensação de que está tudo acumulado, o que me deixa meio estressada, mas vamos nessa.
Afinal, eu nunca desejei com tanta veemência um final de ano.

21.11.10

...Amor


De todos os meus medos, o maior deles definitivamente é te perder.
Dos meus tantos objetivos, um dos maiores é ver seu sorriso e sua alegria incendiarem todos os ambientes em que estamos.
E que ontem eu me lembrei de como tudo aconteceu desde o início.
E desde mesmo início, muitas coisas mudaram, outras, nem tanto.
Do que mudou, grande parcela vem da minha certeza,
Da certeza de que é você que eu quero até quando você quiser e desejar.
Da certeza de que eu aprendi a amar e me adaptar,
Aprendi a dividir e me preocupar mais com alguém do que comigo mesma.
Da verdade que eu não consigo omitir por maior que seja.
E que todo o medo que eu tinha de "viver" ou "saborear" algumas coisas foi embora desde aquele dia em que você disse que nossos status haviam mudado, e que agora eu de fato estava namorando.
Do fato de ter aprendido o significado de algumas palavras que insistiam em sair do meu pobre vocabulário,
E que hoje se repetem sem meus pensamentos terem por completo se formado.
Mas eu não me preocupo com isso.
Só preciso terminar de aprender a demonstrar algumas coisas,
Coisa que ainda é um tanto complicado, mas você já conhece meu modo de escrever e de olhar, então espero que essas suas tantas dúvidas um dia possam ir embora e que você possa perceber que tudo o que eu digo é verdade, e que eu jamais poderia mentir para você, porque não da...
E eu também nem quero.
Eu quero só que você acredite que quando eu falo que te amo, é verdade, e tão grande verdade, que eu me acostumei a dizer muitas vezes em um mesmo dia, para a mesma pessoa.
E que mesmo você não gostando muito de Poe, eu continuo te mostrando algumas novas obras, e mesmo você me devendo Admirável Mundo Novo, eu continuo querendo escutar muitas de suas teorias. (risos)
Eu te amo.

18.11.10

10:53

Quando penso que tudo está razoavelmente em ordem...
Buum!!
As coisas aparecem empilhadas e com datas de entrega (o que me irrita ainda mais!!), o pior de tudo é que eu até estava de bom humor, curtindo a vida, curtindo meus filminhos, meus sonhos estranhos, minha vida amorosa, amigos, aquele cotidiano normal.
Jura que eu preciso continuar a trabalhar?
Eu sei, mais alguma semanas, mas estou de saco cheio, bem cheio para ser sincera.
Este texto esta péssimo, mas preciso desabafar, está complicado hoje...






Achei está foto engraçadíssima, por isso postei.
Estava mais ou menos assim ontem, e não que eu esteja 100% melhor, mas ela até que me animou.
Em plena semana de véspera de provas, o resfriado veio me visitar, ninguém merece, mas é o resultado da ansiedade + sinusite + algumas pequenas coisas.
Estou chata!

15.11.10

Norah Jones´s Concert



Aiii, eu não poderia deixar de comentar o incrível e maravilhoso da show da perfeita, linda, talentosa e muito outros adjetivos a mais; Norah Jones.

Foi simplesmente um espetáculo inesquecível!

Ela veio com toda a simpatia e espontaneidade que eu poderia esperar.

Ao fechar os olhos, facilmente eu me transportava para cenas mil, admito, bateu certa melancolia, mas foi bom demais poder enxergar aquela coisinha pequenininha e cheia de graciosidade cantando aquelas incríveis letras com toda meiguice possível.

Estou ainda extasiada, foi ótimo!


A banda estava impecável, uma afinidade muito grande entre eles, e o som do jazz com folk, absurdo!!
------------------------------------------------------------------------------------------------
Nem preciso dizer que o domingo foi excelente, ?
Feriado indo bem...
Espero que o resto da semana siga a mesma linha.
Let´s runaway?

14.11.10

Apenas o fim


Filme nacional.
Diálogos bonitinhos e engraçados, os atores são bons.
Mas achei o filme muito devagar, meio entediante...
Fez-me filosofar sobre alguns aspectos de relacionamentos e afins.
E um dos aspectos que mais me identifiquei foi a estranheza de ambos, chega a ser um tanto quanto bizarro, mas foi divertido.
Porque mais uma fez se fez concluir que os clichês são um saco!!
-----------------------------------------------------------------------------------
Bipolaridade sucks!!
P.S. Mesmo com minhas distâncias repentinas continuo te amando loucamente.

11.11.10

bobeira .3


Esse desânimo que vem sem me dar sossego e me faz desejar intensamente minha cama, meu travesseiro, meus sonhos...
Esse ano que não acaba e começa a deixar-me nervosa a cada dia.
Parece infindável...
Sim, hoje é quinta-feira, deveria estar animada, mas não, cá estou, com preguiça, mau-humor, e idéias ridículas.
É isso...

9.11.10

23:54

I´m afraid...
I´m a little bit afraid...

...blá blá blá

Pessoa fria...

Eu paro para pensar nisso e vejo que cada vez mais eu gosto de ser fria e viver em mundo paralelo.
Cansei definitivamente de muitas pessoas a meu redor, com conversas que em nada me acrescentam, ou ainda pior, que só me deixam de mau-humor.
E o pior de tudo, é que não possuem nenhum nível de noção a respeito de pessoas ou afins.

O que é ser fria?

É estar cansada e ignorar o que em nada evolui?
É preferir ficar sozinha com uma boa leitura a escutar bobeiras alheias?

Prazer, Frieza.

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Ansiosa para o show da Norah, será com c erteza "o" evento!!
Um adendo; este texto é com direcionamento à pessoas específicas, e quem vier a ler, entenderá ao menos o geral, e a intenção.
O mais importante agora é o show da Norah que está chegando!! (grito abafado...rs)

4.11.10

Corpo

Nada mais é meu.

Meu corpo se corrompeu,

Minhas idéias coagiram de forma incalculável.


Tudo mudou.

De repente eu não sou mais aquela menininha distante da malícia,

Acordo e vejo curvas diferentes em meu corpo,

Sensações que se tornam aguçadas a diferentes movimentos,

Perpetuo aquilo que outrora não era notado.


Percebo que ando dando passos nesta corda fina,

Que tanto se balança,

Mas meu corpo se move junto,

Misturando pedaços,

Acasos, fracassos.


Pecando pelo meu pouco,

Sedendo à desejos e caprichos,

Em uma nova realidade,

Dentro de outro corpo,

Vivendo de uma outra forma,

Deixando a razão para o próximo mês.


Fazendo o convite de boas-vindas,

Aguardando a próxima noite de sono,

O próximo amanhecer,

Com o café da manhã sendo servido carinhosamente.


Com os cabelos desarrumados,

O moleton enorme vestindo-me até os joelhos,

E imaginando o resto do dia.


Que passa lentamente...


Corpos deitados lentamente,

No mesmo quarto de hotel,

Esperando pelo toque nada suave do telefone instalado próximo a ambos,

Pego no sono,

Sem querer,

Sinto acarinhamento em meus (ainda) desgrenhados cabelos,

E os lábios quentes em minha bochecha,

Fazendo cócegas e dizendo milhares de palavras em meio ao silêncio.


Me viro lentamente,

Ainda de olhos fechados,

Beijo meus quentes lábios,

E sorrio sem me conter.


Abro meus olhos e encontro os seus,

Me fitando lentamente,

Vejo que o pôr-do-sol nos alcança e a noite vem chegando carinhosa e acolhedora.


O telefone toca,

Saímos do local,

Abraçados,

E passamos a noite sentados na faixada de um prédio,

Filosofando sobre algum assunto pertinente,

Ou simplesmente,

Pensando no futuro,

No próximo amanhecer.


3.11.10

Movies

Remember Me.
Eu adorei o filme e assiti duas vezes mais, pois Sr. Pattinson (é assim mesmo que se escreve?), me surpreendeu na obra.

O típico casal apaixonado, com alguns problemas, e rotina tipicamente americana.
Sim, um tanto quanto clichê, mas ainda sim, gostei muito!


Ando por vezes gay demais estas últimas semanas, mas é que o namorado surpreende a cada dia =).




Assisti a Orfã (sim, foi o feriado dos filminhos), e me surpreendi deveras com o filme, que em minha opinião foi ótimo, tanto em roteiro, quanto cenário e figurino.

Fora a atuação das crianças que foi excelente! Tanto que o nível de raiva para com a "Orfã" aumenta a cada minuto.

Para quem gosta de suspense e surpresas ao final, recomendadíssimo!!




O próximo, é um mais recente "Preciosa", obra que também gostei, apesar de não ter ido muito com a idéia principal que o filme pareceu propor.

O filme é sofrido meio que por inteiro, mas apresenta uma boa crítica com relação à convívio familiar e suas influências, onde literalmente, somos afetados, em um todo.


Não é dos melhores, mas é bacana para quem se interessa por essa parte de convívio familiar.



Por último, (no caso, ontem), "O Manipulador de Cérebros", admito que dei vários cochilos durante o filme, pois fiquei com uma dor de cabeça terrível durante todo o dia, mas as partes que pude assistir e a idéia do filme são ótimas!!
Recomendo para quem gosta de refletir e filosofar sobre filmes, pode ir em frente, vale a pena!
Irei postar outro texto a respeito do mesmo, pois pretendo assistí-lo inteiro este final de semana.
Bom, como facilmente se percebe, o fim de semana e o feriado foram voltados a filminhos...(gosto pouco, sabe?), comprei "Entre os Muros da Escola", andei lendo a crítica e a curiosidade aguçou ainda mais...
Postagem daqui alguns dias, aguardem.
Por enquanto é isso, ando surtada com este mês, provas, provas e provas!!
That´s all.

1.11.10

...

P.S: Eu não existo longe de você.

30.10.10

Percy Jackson


Sentirei saudades...

Fragmento 3#


Até onde podemos enxergar e ver se fato como as coisas são?
Até onde podemos enxergar toda a tristeza ou felicidade?
Até onde enxergamos as pessoas e o que elas tem a nos dizer?
Como olhamos as formas e o tempo?
Como vemos a música e toda a atmosfera que nos engloba?
Até que onde podemos de fato enxergar?
-----------------------------------------------------------------------------
Parece meio sem nexo, mas certos filmes inspiram assuntos e pensamentos que andam distantes e em uma realidade que está bem à sua frente...
Enfim, deu vontade de escrever.

27.10.10

Besteira #2

Essa coisa de "crescer", é por vezes assustadora.
Olhar ao redor e ver que velhos amigos estão casando, ou estão com filhos no colo, e você com tantas outras coisas em mente.
É difícil assimilar de uma só vez tanta informação.
Eu tenho medo de imaginar o futuro, algo muito a frente, porque os planos são os mesmos, mas a forma de alcançá-los muda com uma velocidade absurda, e as vezes, vejo que nem tenho mais controle sobre algumas delas.
O futuro é algo um tanto preocupante, não só pela atual realidade em que estamos inseridos, mas em um todo pessoal, particular.
Naquilo em que acreditamos para nós mesmos, aquilo que procuramos cultivar sempre. Será que esse sempre pode durar mesmo a vida toda?
Será que certos sonhos podem mesmo virar realidade?
Creio que sim, e gostaria de acreditar no "para sempre", ao menos, ele me liberta e me deixa sonhar, me deixa a ilusão de que tudo, em seu final, vai dar certo.

------------------------------------------------------------------------------------------------
Soou indeciso, mas é assim mesmo, longe de ser normal ou mesmo dramático.
Ao menos a semana está sendo agradável, Halloween chegando...(risos)

19.10.10

Memories


Hoje resolvi abrir meu baú...
Encontrei uma antiga boneca de pano, sempre dormia com ela, me sentia tão bem em seu aconchego, me lembrei das melhores noites de sono que já tive.
Também vi uma revista de desenhos, eu perdia horas pintando cada um deles com canetinha, giz de cera, lápis de cor, horas de pura viagem de mim mesma.
Encontrei o primeiro cartão de aniversário que um alguém muito especial me deu, com a foto de nossos pés juntos, meus all star e seus tênis (risos), e automaticamente voltei para aquele dia.
Depois disso, eu me lembrei de alguém que para sempre vai viver dentro de mim, e sem conseguir me conter, algumas lágrimas de saudade caíram sem meu consentimento, e uma melancolia absurda me tomou.
Mais tarde, neste mesmo dia, eu estava conversando e invadindo o olhar que eu tanto gosto, quando mais uma vez, a imagem de um passado recente me veio, e acabou mais cedo com a minha noite..
Tenho plena consciência de que as memórias jamais irão embora, nem eu quero ficar sem elas, mas é que a saudade é algo incontrolável, é algo que faz com que toda sua sanidade se perca, te deixando sozinha, em mil pedaços.
Eu não quero me acostumar à isso, mas ainda é recente, ainda é próximo demais, ainda me fere muito, mas eu ei de superar, ei de encontrar uma luz maior, a presença já me consola, preciso apenas do resto de minha mente.
Ainda sim sou uma feliz, muito feliz (apesar de estressada) mortal.
Ainda sim, eu sei amar, eu sei transformar algumas coisas em trapalhadas, e consigo gargalhar.
Ainda sim, eu sei respirar.

14.10.10

Cine; Tropa de Elite 2


Podem falar mal, ou até mesmo pensar, "Você publicando algo sobre o filme acima citado?"

Pois sim, estou publicando um texto sobre o filme Tropa de Elite 2.
E o faço com gosto, pois de fato, o filme é excelente, para um público vazio, ignorante.
A abordagem é mais do que forte, é praticamente um soco no estômago ao sistema, às falhas e sucessos destes hipócritas ridículos.
Há uma porção de cenas de "comédia", que são marcadas por piadas subliminares, cheias de crítica e pensamentos profundos.
Você assiste à uma obra dessas, e ao término, questionamentos mil surgem.
Aí, quando você sai da sala, depara com um bando de pessoas inúteis discutindo as cenas menos importantes, ou falando merda, sobre um tema tão importante, e que caiu como uma luva no momento em que estamos; eleição.
Tudo lá é cabível e cheio de enumerações relevantes a respeito de política, educação, caráter. Aposto que infelizmente uma porcentagem mínima deve ter notado o mesmo.
Mas ainda sim, temos de agradecer por termos uma parcela, ainda que pequena, de seres pensantes, seres questionadores deste mundo em que vivemos, nesta nossa sociedade "democrática", neste país onde podemos fazer a diferença (só não descobri aonde), neste lugar que devemos chamar de casa, de lar.
Fico indignada mesmo com as coisas que ouço e vejo. Um bando de cabeças sem cultura, sem vontade de se aprofundar em nada, sem vontade de aprender, de conhecer, de cultuar melhor o mundo que vive.
Isso me da nojo, náusea.
Pior ainda é sair da sala do cinema e pensar que talvez não haja cura para isso, cura para estes deputados, governadores, senadores, futuros presidentes. Afinal, a ficção não é mera coincidência, e o texto, é praticamente um retrato absurdamente nítido desta realidade que somos inseridos.
Basta dia-a-dia se atentar aos mínimos detalhes, à um minúsculo texto de jornal para notar a semelhança da obra à realidade.
Acho que é isso, mais ou menos um desabafo em cima de toda uma decepção de uma sociedade, de pessoas, de um todo.

Live us

Deixa eu me perder dentro desse teu beijo,
Deixa eu me embriagar no cheiro do teu pescoço,
Deixa eu encontrar minha natureza dentro dos teus olhos,

Deixa eu me esconder no contorno das suas costas,
Deixa eu fingir ser uma outra,
Deixa que eu seja eu mesma,
Deixa eu me iludir no contorno dos teus lábios,
Deixa eu me divertir na tua risada,
Deixa eu mergulhar nas tuas palavras,
Deixa eu te amar.




Se o impossível for encontrar a felicidade,
Deixa que eu procuro ela dentro de você.
Se um mortal não for capaz de ser contente a todo momento,
Deita e dorme no meu colo todas as noites,
Se eu ao menos puder ser alegre a todo instante,
Deixa eu apoiar minha cabeça no teu ombro,
Me deixa dizer sempre que possível;
Eu te amo.

7.10.10

Fragmento

É estranha toda essa sensação de rapidez, de fácil desencanto.
As pessoas se entregam de tal forma, que não há tempo para aquele famoso flerte, o famoso namoro em si.
Tudo anda tão rápido, perdendo a sincronia,
Anda desenfreado, meio que sem sentido,
Se perdendo.

As fases não andam sendo experimentadas, almejadas, andam perdendo seus porquês, seu interesse sentimental, andam sendo jogadas para o nada, perdidas.

Esse texto aparentemente está sem nexo, mas é que tem pessoas que possuem o poder de tirar o bom senso e o resto de paciência que me resta, e querer dizer à elas tudo o que me vem a mente.
Felizmente elas me seguem em dias em que estou educadíssima e me controlo, mas que anda difícil, anda.
Essa palhaçada toda de papinhos velhos e sem fundamento, essa hipocrisia de dizer que teria que ser assim ou assado, nada me interessa, já falou o que tinha que falar, então, me deixe em meu canto.
Pare de ficar se comparado a fulano, a fulana, pare de me contar, já entendi o que acontece, já fui informada.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sim, estou de mau-humor por causa de pessoas que vivem em redominhas que me incomodam, e sim, cada vez mais eu me sinto contente por ter seu abraço e suas conversas que tanto me alegram.
Me apaixonei novamente ontem e sinto que estou mais leve, mais eu.
Somente a dor de cabeça anda me incomodando.

27.9.10

Pequena Carta


Querido,
Me desculpe se ando estranha nesses últimos dias, nem eu sei realmente o porquê.
Me desculpe se fiz alguma brincadeira que não te agradou, ou se fui estúpida por diversas vezes, minha cabeça anda me matando com essas dores.
Meu estômago parece que trocou de lugar com meu coração, pois anda fazendo estranhos barulhos, e com uma pulsação estranha.
Perdoe meus momentos de falta de palavras, ou de uma ação carinhosa que te agrade.
Perdoe estas minhas últimas faltas.
Marina
_______________________________________________________________________________
Sei que pode soar exagerado, também pensei o mesmo. Mas estava precisando escrever, pois na maioria das vezes não consigo dizer exatamente o que penso, preciso organizar tudo o que me vem, e veio assim, mais ou menos assim.
Tão exagerada, tão verdadeira.

24.9.10

Desabafo (2)?

É terrível errar, ainda mais alguém com ansiedade absurda.
Os primeiros sintomas são facilmente identificados; o coração dispara de uma forma tão maluca, que você o sente pulsar, um pouco abaixo do maxilar, na área abdominal, e o cérebro, isso mesmo, o cérebro parece que está pulsando sem parar, e o desespero te adentra, sem deixar nenhum vestígio de saída.
Parece que tudo travou, que você está ali, de mãos atadas, sem saber o que fazer.
Desistir? Correr atrás? O que fazer?

Sei lá...minhas mãos tremem um pouco, e meu ombro já sente dores, tensão extrema, espero que abrande até o fim do dia. Afinal, o fim de semana está aí, tenho um pouco de trabalho a fazer, e quem sabe, me concentrar em alguma diversão...

foda.

23.9.10

fragmento ##

Hoje as horas passaram com uma velocidade grande, mas ainda sim, parece que o ano está com preguiça de acabar. Parece que quer ficar para sempre neste mês, neste dia...

Estou trabalhando, estudando, posso estar sorrindo e falando besteira, mas o desespero aqui por dentro corrói, estraga, invade sem piedade alguma.

O pedaço que outrora me era esperançoso se fora, e minha felicidade jamais voltará a ser completa, juro que tento completar o resto, o tal 90%, mas anda tão difícil.

As vezes parece que meus desejos e sonhos mais queridos vão demorar a chegar, ou chegarão com milhões de pedras no caminho. Isso agoniza os menores e tristes pensamentos, isso deterioriza um sorriso que está prestes a sair. Dói, dói tanto.

Minha mente neurótica e paranóica não me abandona nunca, parece que ama este tolo consolo, este tolo fragmento.

E eu...vou me perdendo, me achando por entre os cantinhos.

20.9.10

Feito


Ela queria uma noite de sonhos. Ele, sexo. Ela queria imaginar estrelas. Ele, sexo. Ela queria escutar os tais "fogos de artifício". Ele, sexo. Ela ansiava por beijos longos e apaixonados. Ele, sexo. Ela queria todo um carinho antes. Ele, apenas o sexo. Ela, o olhava apaixonada. Ele, a olhava excitado.
E a noite dava entrada no frio apartamento, daquele predinho de três andares, simples, escuro, e frio.
Ela, tirava cuidadosamente a camisa dele. Ele, atacava com rapidez a saia dela. Ela se deitava e observava o que ele fazia. Ele, tirava sua calcinha e observava seu desejo. Ela abria devagar suas pernas. Ele, ia dilatando as pupilas, e aos poucos, sentindo o gosto dela. Ela, fechava os olhos e deixava que as sensações a tomassem. Ele, se deitava por cima dela, lhe beijando a boca sem pressa agora. Ela, o beijava em resposta, abaixando suas calças lentamente. Ele, terminava de se despir, e tomava o corpo dela com intenso deleite, deixando para depois toda a pressa, e desejando que a noite se prolongasse por dois dias. Ela, suspirava e gemia com tamanho desejo, rezando para que a madrugada durasse toda uma tarde...
Ela teve uma noite de sonhos e afagos carinhosos. Ele, queria amá-la mais. Ela, queria sexo. Ele, um beijo.
E a madrugada se prolongou.

Fragmento #02

Às vezes eu nem sei mais se existo,
Quando meu olhar se estagna perante o teu,
Parece que tudo o que estou vivendo se intensifica com o passar dos segundos,
E meu coração dispara com a com a mesma intensidade desde nosso primeiro encontro.

Quando meus dedos se entrelaçam nos teus,
Toda essa atmosfera que vivo se dissipa,
Me fazendo relembrar tudo que outrora eu sonhara,
Eu planejara,
Eu inventara...

Mas não é ilusão de óptica, de audição, muito menos de paladar,
Tudo isso é realidade,
Todo esse seu gosto é minha verdade.

E eu posso afirmar que se apaixonar é bobo,
É engraçado,
É atrapalhado,
Mas é ainda mais fantástico, mais maravilhoso, mais encantado.

Não que eu viva em um conto de fadas, estou bem longe deste mesmo,
Mas eu vivo um amor que fica um pouco distante de certos clichês,
Certos pontos que se encontram em amores mais "convencionais",
Acho que amo cada vez mais esse nosso modo de olhar e viver o mundo,
Esse nosso modo de amar e encarar uma realidade paralela,
A qual eu não quero me desligar,
Não quero sair.

Que a vírgula que invade nossos textos e conversas possam se prolongar por longos parágrafos, e que eu sinta que as reticências acentuem somente risadas ou suspiros que andam cada vez mais intensos.
Pois é dentro de mim que você está, é dentro das minhas pupilas que sua respiração aumenta, é dentro do nosso beijo, que eu não tenho medo de caminhar.

15.9.10

Cabeça ponta



O mundo fica meio que de ponta cabeça, quando suas mãos tomam meu quadril.
E meu estômago se contrai.

O mundo fica meio que de ponta cabeça, quando sua boca se apossa do meu pescoço.
E minhas mãos tomam sua nuca.

O mundo fica meio que de ponta cabeça, quando deitamos juntos e encaixamos nossos corpos.
E minha mente se desliga do mundo.

O mundo fica de ponta cabeça, quando nossos corpos se encontram.
E eu me perco em sua respiração.

13.9.10

Domingo


Eu ficaria o dia todo observando seus passos na areia,
A sua expressão enquanto dormia no carro,
Seu frio no mar,
Eu conseguiria ficar o dia inteiro vislumbrando o calor que nos encobriu,
E as risadas que consumimos.
Eu conseguiria ficar o dia dentro no mar abraçada a você, e sentindo o gosto de sal ao beijar seu ombro.
Eu ficaria simplesmente te olhando...
Me apaixonando dia após dia...
Naquele sol, naquele vento, na forma de suas costas, e no contorno dos seus lábios.
Na simplicidade de algumas pessoas,
No clima que elas nos proporcionam.
Eu poderia ficar ali o dia todo, planejando o próximo fim de semana com você, nossa próxima cena.
____________________________________________________________________________________
Porque este domingo foi incrível, e porque eu não consigo parar de pensar em você.

11.9.10

Mar, saudade...

Acho que estou com medo de olhar o mar,
Talvez porque eu ainda não tenha superado,
Talvez porque eu ainda não consiga pronunciar seu nome muito bem,
Ou olhar suas fotografias por muito tempo,
Ou até, pelo fato de tentar escrever algo em sua lembrança e minhas lágrimas invadirem minha visão, que logo embaça.

Quando será que esse vazio vai amenizar meus pensamentos?
Quando será que minha paz vai voltar, e eu finalmente poderei dormir direito?

Eu espero...não tenho pressa.

Acho que estou com medo de olhar o mar,
Sentir o cheiro de maresia e fechar os olhos com última imagem que tenho.
Com a última conversa,
Com os planos para o futuro.

Juro que estou tentando controlar este choro que hoje me invadiu de repente,
Mas está difícil,
Muito difícil...

Nem sei mais como tampar esta ferida que tanto dói, acho que só o tempo...

Só este eterno vazio, eu acho.