4.11.08

...Onde está a maldita coerência?

Inexplicavelmente,
Ando pensando demais
Nos "imprevistos" que ando fazendo,
Nos loucos desejos que andam me perseguindo,
E estranhamente,
Quando penso em loucuras,
Uma imensa vontade de rir me consome,
Fazendo com que meus votos incessantes de vida "perfeita" desapareçam,
E eu começo a viver,
Loucamente,
Apaixonadamente,
Livremente,
Por caminhos jamais imaginados,
Porém interessantíssimos...

A resposta é sim,
Conheci o diferente,
O outro lado.

Se gostei?
Resposta positiva novamente,
Houve algo diferente no ar,
No momento,
Algo que não tinha sentido antes,
E que tenho a maior vontade de explorar agora.

Mas não vou mentir,
Um pequeno medo me assombra,
Me invade de mansinho,
Me deixando confusa,
E ao mesmo tempo,
Me ajudando a não pensar,
E agir somente,
E ao agir,
Vejo que nada perdi,
Apenas ganhei,
Sim, ganhei a intensidade de um momento,
Que não irá se repetir,
Ou melhor,
Se repetirá,
Mas com outra intensidade,
Outros movimentos,
Novo momento,
E mais uma vez,
Deixarei involuntariamente
Meu corpo agir,
Assim,
Com um simples toque,
Um simples gesto,
Basta-me um olhar.